Arcanos menores Tarô

Os arcanos menores são o grupo que segue as 22 cartas maiores no sistema de tarô. Você pode compará-los com tons obtidos com base na mesma cor. Assim, o azul (a cor do elemento Água) facilmente se transforma em azul-celeste ou esmeralda e o marrom (Terra) em ocre. Essas cartas complementam o quadro geral da adivinhação, introduzindo detalhes interessantes. Se uma pessoa está destinada ao sucesso, os arcanos menores indicarão em qual área específica esperar o triunfo. No sentido invertido, as cartas mostrarão a área em que você deve se preparar para uma falta. Mas mesmo aqui, o questionador pode usar as previsões recebidas para seu próprio benefício, interessar-se prevenir ou minimizar perdas.

Significado dos arcanos menores no Tarô

Os primeiros baralhos de Tarô apareceram na Europa no século XV. Inicialmente, as pessoas usavam cartas apenas para jogar. Por isso o desenho de cada ilustração não era muito detalhado. Os arcanos menores são análogos às cartas de baralho regulares. No entanto, mais tarde no século 18, as sessões de adivinhação começaram a ser realizadas usando o baralho. Se considerarmos o Tarô da posição do esoterismo, então o significado muda drasticamente. Os arcanos numéricos e cartas da corte são uma espécie de reflexo do mundo real com todas as suas manifestações. O místico Arthur Waite desenvolveu a visualização detalhada e criou o tarô clássico que ainda está em uso hoje.

Os arcanos menores permitem ao mestre obter uma resposta mais completa. Eles dão detalhes adicionais: mostram o horário, os números, as pessoas específicas e a essência do evento. Assim, 56 arcanos menores podem ser considerados como uma espécie de alfabeto, um conjunto de sons, letras e palavras individuais. Várias combinações de cartas descartadas dão uma resposta completa a uma pergunta de qualquer natureza. E se o grupo sênior denota os pontos fundamentais, então os numéricos e os de quadra dão os retoques finais a este quadro. E até mesmo uma único carta pode adicionar clareza a um assunto complicado. Atenção especial deve ser dada aos personagens da corte – muitas vezes eles personificam pessoas específicas.

Quatro naipes dos arcanos menores

Todo o grupo de arcanos menores é dividido em quatro naipes correspondentes aos elementos – Espadas (Ar), Copas (Água), Paus (Fogo), Ouros (Terra). Cada um deles terá suas próprias características e manifestações. A energia dos diferentes segmentos difere no grau de intensidade e suas qualidades inerentes, dependendo do naipe dos arcanos menores. Cartões de figuras representando pessoas específicas também mostrarão diferentes aparências e personalidades. Eles também podem simbolizar as estações do ano, certos estágios de desenvolvimento. Cada naipe mostra sua própria história, que se desenvolve à medida que o valor numérico diminui.

Naipe de Espadas

As Espadas simbolizam o pensamento inicial que se origina nas profundezas da consciência. É éter, uma substância incorpórea. O grupo dos arcanos menores do Ar simboliza a agudeza do pensamento, bem como a prontidão para lutar. A mente é por natureza muito negativa. Esta é simplesmente uma reação defensiva que prepara uma pessoa para o pior desenvolvimento possível de eventos. Portanto, o naipe de Espadas personifica os conflitos, a capacidade de resistir aos outros e até a si mesmo. As Lâminas também denotam a estação – inverno. Esta é uma energia fria que ajuda a olhar as coisas com sobriedade. Na posição vertical, as Lâminas falam de sanidade, mas invertidos, falam de destruição.

Naipe de Copas

Além disso, o mesmo impulso desce ao nível dos sentimentos. O próximo grupo é Copas relacionadas ao elemento Água. Os arcanos menores deste naipe são responsáveis pelos sentimentos e experiências do coração. É uma energia muito calma. Suas vibrações são como ondas quentes do mar. Os Cálices simbolizam a primavera, a inspiração e a capacidade de amar. Em todo o sistema do Tarô, o valor dos arcanos menores do grupo Água será o mais favorável. Como se um anjo brilhante fechasse o consulente com suas asas e protegesse o protegido de qualquer adversidade. Um pensamento criado no nível do intelecto vai direto ao coração. Aqui ela está procurando por motivação que possa colocar tudo em movimento.

Naipe de Paus

Então a ação entra em jogo. Os Paus ou Bastões são responsáveis por eventos brilhantes que ocorrem muito rapidamente. É um impulso, um desejo forte, uma paixão. Todos os arcanos numéricos menores deste grupo mostram crescimento e desenvolvimento. O Dez desempenha um papel fundamental aqui, e o Ás completa a história. O grupo de Fogo parece estar jogando lenha no fogo da motivação. Agora uma pessoa executa algumas ações devido ao resultado. Os Bastões também simbolizam metaforicamente o verão – o auge de qualquer empresa. Este é o período em que o questionador tem uma enorme oferta de recursos e está pronto para atingir o objetivo.

Naipe de Ouros

E o resultado final da cadeia considerada é o grupo da Terra – o naipe de Ouros. Este outono é a época da colheita. O pensamento inicial finalmente se transforma em frutos concretos de esforços, resultados. Os arcanos menores deste elemento são responsáveis pelo bem-estar financeiro, lucro, conveniência. A Terra no Tarô simboliza a rotina diária, questões domésticas. E embora esse elemento esteja longe de sentimentos profundos, mas no final desempenha um papel importante no palco da vida. Assim, todos os elementos parecem fluir um para o outro. São quatro lados do mesmo mundo, embora com suas diferenças.

Significado das cartas numeradas do Tarô

Os valores numéricos dos arcanos menores – de Um a Dez são responsáveis pelo aumento ou diminuição da energia dos elementos. Ao mesmo tempo, o próprio Arthur Waite, criador do clássico baralho de Tarô, considerava as cartas em ordem decrescente. Assim, o Dez é o impulso original, o poço cheio de vibrações grupais. O Ás simboliza o fim de algo, mas ao mesmo tempo também simboliza um esboço da imagem futura. Cada valor numérico carrega um certo significado com o fato de pertencer ao naipe. Quanto maior o número, maior seu potencial e influência nos eventos em andamento. E o grupo ao qual a carta pertence traçará os limites da esfera em questão.

Ás

O Ás representa a unidade, o primeiro pensamento e a raiz de todo o elemento. Esta é uma chance, uma mão estendida pelo Universo. Se a carta cair em uma posição reta, seu valor na tiragem será positivo. O Um simboliza o início e o fim, o estágio de transição. Este é o eterno jogo da vida com um final aberto. No contexto do naipe de Ar, o Um é responsável por ideias brilhantes; Água – a aparência de simpatia; Fogo – paixão inflamada; Terras são a criação física de algo novo. Assim, o Ás dá a chance de mudar a situação atual e passar para a próxima fase da vida. Todos os arcanos menores desse valor numérico são responsáveis por inovações. No entanto, cartas invertidas prometem uma parada e tempo perdido.

Dois

O Dois simboliza parceria, o equilíbrio dos opostos. Na tiragem, mostra a relação entre as pessoas ou as partes internas da psique humana. O Dois do naipe de Espadas representa proximidade e presença de conflito; Copas – harmonia e fusão; Bastões – vários projetos e desejos em simultâneo; Denários – fraude financeira e capacidade de adaptação. Mas na forma oposta, os arcanos menores desse valor numérico mostram estratégias quebradas e emoções reprimidas. Agora o Dois simboliza desunião e falta de compreensão mútua. Ambos os lados estão separados um do outro, levando a resultados negativos.

Três

Os Três no Tarô mostram a intervenção de várias pessoas ao mesmo tempo. Diretamente, as cartas simbolizam a coerência de qualquer processo, mesmo o mais disfuncional. O Três do naipe de Lâminas representa desgosto e sofrimento; Cálices – bem comum, feriado; Paus – conexões sociais; Moedas – demanda. No entanto, no sentido oposto, os arcanos menores sob o número Três mostram a presença de problemas na comunicação com as pessoas. É difícil para um querente encontrar uma linguagem comum com os outros. Todas as tentativas de estabelecer algum tipo de processo terminam em um fracasso retumbante. Nesse caso, em uma das etapas, ocorre um erro fundamental que afeta o desfecho do caso.

Quatro

Os Quatro representam estabilidade e resiliência. E isso pode se aplicar a eventos agradáveis e nem tanto. O Quatro do naipe de Espadas mostra estagnação; Copas – calma; Pautas – um resultado estável; Ouros – bem-estar financeiro. Os arcanos menores sob este número dão previsões para o futuro, prometendo que a situação permanecerá a mesma. Mas em sentido invertido, as mesmas cartas mostram um pântano de energia com água estagnada. Os eventos não se desenvolvem, e é por isso que uma pessoa definha e fica moralmente cansada. Agora a certeza assume um significado negativo, oprime e assusta com sua imutabilidade.

Cinco

O Cinco simboliza um estágio de transição, resultados "indecisos". Assume um significado neutro na tiragem, não permitindo tirar conclusões inequívocas. Os Cinco do elemento de Ar representam o vazio e as tentativas malsucedidas; Água – expectativas injustificadas; Fogo – competição; Terra – pobreza e necessidade. Mas se os arcanos menores desse valor numérico caírem invertidos, a essência da tiragem mudará para pior. Agora a incerteza leva a um canto, esgota e gasta a última força. Não há mais esperança de um futuro brilhante, e esse fato desmotiva completamente o questionador.

Seis

O Seis é uma espécie de máquina do tempo que leva o consulente ao passado. Ele aponta para as causas do que está acontecendo, escondidas em eventos passados. O Seis do naipe de Lâminas é o responsável por fugir da realidade, da nostalgia; Cálices – infância; Bastões – momentos de sucesso retumbante; Ouros – ajude aqueles que se encontram em uma situação semelhante. No sentido oposto, os arcanos menores sob o número Seis se mostrarão presos a uma certa condicionalidade. É difícil para um adivinho sair da situação atual. O caminho para o sucesso está repleto de obstáculos que o impedem de avançar. Uma pessoa tropeçará repetidamente até encontrar a raiz do problema em seu passado.

Sete

O Sete no Tarô simboliza a conclusão de um certo ciclo. Esta é a coroa de eventos passados, expressa em resultados concretos. Assim, o Sete do naipe de Ar fala de um truque bem-sucedido; Água – a apoteose dos desejos e prazeres; Fogo – luta aberta, confronto; Terra – colheita. Mas os mesmos arcanos menores em posição invertida não mostram os resultados que a pessoa originalmente queria obter. Chega à decepção, ao vazio. Todas as ações tomadas são simplesmente desnecessárias. Como resultado, o questionador perde o significado com a vitalidade e as aspirações.

Oito

Os Oitos são responsáveis pela ciclicidade. São recursos renováveis que nunca se esgotarão. Nesse caso, o indivíduo pode alimentar sua inspiração ou medo – o resultado será uma continuação da situação atual. O Oito de Espadas mostra fobias e limitações; Copas – sentimentos secretos; Paus – a fase ativa de crescimento; Moedas – o acúmulo de experiência, o fluxo. No entanto, esses arcanos menores na forma oposta levam o adivinho a um canto. Uma pessoa está envolvida em um trabalho sem sentido, que apenas esgota o recurso interno. Como resultado, o desenvolvimento não ocorre, o consulente está marcando o tempo. O tempo precioso está se esgotando e resultados concretos não podem ser alcançados.

Nove

Os Noves representam generosidade e riqueza. Esta é uma fase intensa cheia de sentimentos fortes. Não importa se é mais ou menos. Como resultado, a energia se move de um polo para outro, criando uma voltagem poderosa que pode causar choque. O Nove do elemento de Ar simbolizam tristeza e luto, tristeza; Água – inspiração e contentamento; Fogo – perseverança; Terra – segurança. No sentido invertido, os arcanos menores sob o número Nove são responsáveis pelo potencial inexplorado, escondendo fortes sentimentos e emoções. Esta é uma tensão ainda maior, que mais cedo ou mais tarde destruirá tudo em seu caminho.

Dez

O Dez ainda é o mesmo Um, mas agora com Zero. O número simboliza um poderoso potencial que já foi incorporado na realidade. É uma generosidade às sensações positivas e dolorosas. O Dez do naipe de Lâminas são responsáveis por eventos e sentimentos negativos sobre isso; Cálices – alegria conjunta e solidariedade; Bastões – força notável, um grande desejo de fazer algo; Ouros – bem-estar financeiro, bem-estar material. Mas esses mesmos arcanos menores na forma oposta predizem grandes perdas e uma incapacidade de lidar com os sentimentos nesta ocasião. Agora o Dez se transforma em uma maldição que assombra o querente. A mesma riqueza torna-se uma gaiola de ouro e a morte de um ente querido – a morte da própria alma.

Significado das cartas de corte do Tarô

Todos os arcanos menores da corte designam principalmente pessoas específicas. Dependendo de pertencer a um determinado naipe, esses indivíduos diferem em físico, cabelo, olhos e cor da pele, bem como no caráter. As figuras principais são sempre o Rei e a Rainha. O Cavaleiro e o Valete são seus protetores e mensageiros. No entanto, em alguns baralhos, essas cartas representam os Filhos e Filhas do casal real. Além disso, as figuras do tribunal deitam-se como uma característica da situação. Como aparência, essas cartas dos quatro elementos mostrarão diferentes tipos. Tudo depende da visualização da classificação em questão no baralho.

Valete

Todos os Valetes são tradicionalmente responsáveis pela chegada de notícias. Em uma posição direta, isso será uma boa notícia ou informação que você pode usar para seu próprio benefício. A carta também simboliza crianças ou adolescentes. O Valete de Espadas mostra a resposta “não” ou o aparecimento de algumas dificuldades, a carta também personifica pessoas inteligentes, mas fechadas. O Pajem de Copas promete boas notícias ou simboliza uma criança gentil e dócil. O Valete de Bastões prevê o desenvolvimento da situação, mostra adolescentes com um caráter brilhante. O Pajem de Ouros denota notícias sobre assuntos materiais e também personifica crianças modestas. Mas em posição invertida, esses arcanos menores mostrarão notícias tardias.

Cavaleiro

Os Cavaleiros representam viagens e o processo de desenvolvimento de uma situação. Além disso, esses arcanos menores mostram os jovens. O elemento Ar fala de velocidade, reação instantânea ou um cara de força de vontade; Água é um encontro amoroso, um jovem romântico; Fogo – viagens de trabalho, desenvolvimento pessoal ou um homem apaixonado; Terra – viagens de negócios, um indivíduo voltado para o bem-estar financeiro. Os Cavaleiros invertidos simbolizam assuntos adiados, movimentos forçados. Este é o aparecimento de obstáculos imprevistos no caminho para o objetivo. Ao mesmo tempo, os problemas podem estar relacionados tanto a dificuldades internas quanto a circunstâncias externas.

Rainha

As Rainhas tradicionalmente mostram mulheres. No entanto, esses mesmos arcanos menores podem caracterizar o que está acontecendo. Assim, a Dama de Espadas simboliza meninas imperiosas ou a aparência de uma situação de conflito. A Rainha de Copas personifica uma mulher sonhadora e sensível, e também uma chance de estabelecer uma vida pessoal. A Dama de Pautas mostra uma dama apaixonada ou uma onda de vivacidade, motivação. A Senhora de Terra denota uma mulher prática, bem como um excelente período para criar um negócio. As Rainhas invertidas representam má gestão da situação, o que levará o consulente ao colapso. Além disso, esses são traços de caráter negativos inerentes a cada um dos elementos.

Rei

Os Reis simbolizam homens específicos que ocorreram em seu campo, dependendo do naipe. Os arcanos menores deste grau também atuam como um significador da situação, podem mostrar vários empreendimentos e a essência da questão. O Senhor de Lâminas é um governante insensível, mas poderoso; circunstâncias que exigem a inclusão da lógica. O Rei de Água é um cavalheiro delicado e sensível; uma onda de ternura, amor. O Governante de Fogo é uma pessoa ambiciosa, cheia de motivação; rápida evolução da situação. O Senhor de Ouros é um homem de sucesso; estabilidade financeira. Mas invertidos, todos os Reis simbolizam abuso de posição ou incapacidade de lidar com a responsabilidade atribuída.

Arcana do Tarô